Best Odyssey Marshalls Wave Expedition

26 02 2009

A Best Odissey nas ilhas Marshall procurando as melhores ondas





Board shorts

26 02 2009

shorts

Antes de comprarem os próximos board shorts, na surfshop local visitem estes sites com vários modelos de calções de surf , das diversas marcas, em Board Short Review ou em iboardshorts.





Revista de wake unleashed

23 02 2009

unleashed

Revista online de wakeboard Unleashed, com muita qualidade e util  para o kitesurf.





Sofia Teles em entrevista

22 02 2009

lagos0130kite

Sofia Teles da loja Southstore, patrocinadora das pranchas Balance deu uma entrevista ao site Conquilha, onde relata o estado do kitesurf no país.

Conquilha – O kitesurf está em todas as praias. A que atribuis a tão grande popularidade desta modalidade tendo em conta que apareceu recentemente?

Sofia Teles – Em Portugal, há pessoas que praticam kitesurf há cerca de 10 anos. No entanto, tem-se assistido a um grande crescimento desta modalidade nos últimos tempos. Penso que no início fazer kitesurf não era tão fácil como é hoje. Hoje, existem muitas escolas onde se pode aprender em segurança, o próprio equipamento é muito mais seguro e esta modalidade é relativamente fácil de aprender (nunca sozinho mas, sempre com uma escola) comparando com outras modalidades como o surf ou o windsurf

C – Como são as condições no Algarve para a prática deste desporto?

S – No Algarve temos excelentes condições para o kitesurf: clima ameno durante todo o ano, água com temperaturas razoáveis (!), vasta costa com rias o que permite descobrir sempre algum lugar seguro para fazer kitesurf, com as diferentes direcções de vento, boas ondas e vento forte e constante, particularmente no Verão.

C – Os turistas deslocam-se ao Algarve para praticar kitesurf?

S – Por si só, o Algarve tem um enorme potencial turístico e é um destino de eleição dos europeus. Por isso, é muito natural que ao descobrirem as excelentes condições que aqui existem passem também a viajar para o Algarve para fazer kitesurf. É na Europa, tem muitos voos, a oferta turística é imensa e as condições rivalizam com os melhores spots do mundo.

C – Sabemos que membros da vossa equipa são próximos da APKITE. Qual é a função desta associação?

S – A APKITE é neste momento uma associação a caminho de se tornar federação e pretende regulamentar a prática de desportos que utilizam o kite, promover formações e eventos, representar os seus praticantes entre outros.

C – Sabemos que o kitesurf está a impor-se nas instâncias internacionais de vela afirmando-se como uma classe oficial. O kite é uma classe de vela?

S – Poderá ser! Como em todos os desportos, o kitesurf tem várias vertentes, uma delas é a “Race” que funciona com regras semelhantes a uma regata de vela.

C – Como justificas o facto dos participantes no nacional de kite serem tão jovens?

S – Apesar de no geral os praticantes de kite não serem tão novos, os participantes no nacional (e em qualquer campeonato internacional) são muito jovens porque o nível exigido e a dificuldade das manobras são cada vez maiores, sendo necessário ter muita agilidade, flexibilidade, resistência e um bocadinho (bastante!) de inconsciência.

C – Como surgiu a ideia de arrancar com o projecto South Store?

S – Os 3 sócios estão ligados às modalidades desportivas que estão presentes na South Store: kitesurf, surf e wakeboard. A ideia surgiu porque achámos que não existia uma loja essencialmente técnica no Algarve. Também seria um bom apoio às 2 escolas de kitesurf: 4Kiters e South Adventures e, mais importante que tudo, havia a necessidade de dar alguma credibilidade à venda de material de kitesurf. Os clientes cada vez mais procuram uma loja e não um vendedor de praia. Gostam de saber que têm apoio pré e pós venda, gostam de testar o material e saber que se precisarem de algum tipo de ajuda, será fácil encontrá-la. Para além destes aspectos incluímos neste projecto muita paixão!

C – Têm algum rider patrocinado nas competições nacionais?

S – Sim. Na temporada 2008 tivemos 2 atletas a correr o nacional. O Danilo Nacarato foi apoiado com pranchas Aboards e o Gonçalo Gomes com pranchas Balance.

C – Quais são as vossas áreas de serviços? Têm escola de kite?

S – Neste momento, e relativamente ao kitesurf, temos 3 tipos de serviços: loja, escola e test center. No surf, também temos a loja e test center e no wakeboard estamos apenas como loja.

C – Quanto é que é preciso gastar para começar a praticar kitesurf?

S – Dependendo se falamos de adquirir material usado ou novo. Para material usado e já contemplando um curso, cerca de 1000€ serão suficientes. Para material novo, serão cerca de 2000€.

C – Muitas pessoas não sabem que também comercializam material de surf.

S – Sim, é verdade. Tivemos a oportunidade de conseguir fechar primeiro representações de grandes marcas de kitesurf e estávamos apenas a trabalhar com a Nineplus no surf. Só agora é que fechámos com mais marcas de topo como a Resin8 e Gstar.

C – Indica uma boa razão para conhecer a vossa loja.

S – Na nossa loja estão presentes as melhores marcas do mercado e todo tipo de acessórios técnicos. Contamos também com algumas marcas de roupa que ainda estão pouco representadas em Portugal mas que no resto do mundo são muitíssimo conhecidas.

Fonte : conquilha





Mitu em Ponta Preta

20 02 2009

Mitu o campeão do mundo KPWT de wave a brincar no seu quintal em Cabo Verde.